Tabagismo na Adolescência

Avatar

Por Kipp Saúde

14 de junho de 2022

Atualidades

Avatar

Por Kipp Saúde

14 de junho de 2022

Tabagismo na adolescência: por que fumar não é uma boa ideia?

Temos uma lista de motivos que explicam por que é melhor nem começar com esse hábito

Tá certo! Antigamente, naquela época em que nem existiam as redes sociais, por exemplo, era comum vermos adolescentes que queriam ser admirados pelos colegas, os chamados populares, serem retratados como os fumantes da galera. Mas isso com certeza já ficou pra trás. O tempo, a ciência e a experiência estão aí para comprovar que fumar não é mesmo uma boa ideia. Neste texto, vamos falar mais sobre o tabagismo na adolescência.

Por que os jovens começam a fumar?

É bom iniciarmos por essa questão. Afinal, em 2022, com tantas pesquisas e informações que falam sobre os riscos do cigarro, o que será que ainda leva os adolescentes a serem fumantes?

A introdução ao tabagismo na adolescência pode acontecer por muitas razões, como a repetição de um comportamento do grupo no qual o jovem está inserido, por curiosidade, pelo fato de ter outros fumantes no núcleo familiar, para imitar um ídolo ou amigo que fuma e ainda pelo fácil acesso ao cigarro.

Por todos esses motivos, muitos jovens experimentam e iniciam de forma recreativa o consumo de cigarros na adolescência, e acabam por não conseguir mais parar, tornando-se dependentes da nicotina.

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 24% dos jovens em idade escolar já experimentaram cigarro pelo menos uma vez na vida, e a taxa de jovens fumantes que têm entre 18 e 24 anos passou de 7,4% em 2016 para 8,5% em 2017.

Quais os perigos para quem fuma na adolescência?

A maioria das pessoas dependentes de nicotina se tornou fumante antes dos 19 anos.

Se nos adultos os perigos e o efeito do cigarro incluem problemas cardíacos, impotência sexual e surgimento de câncer em vários órgãos, no corpo do jovem as consequências podem ser ainda mais prejudiciais, pois afeta o organismo em uma fase de muitas mudanças e transformações, podendo ocasionar, por exemplo, déficit no sistema imunológico, ainda em período de maturação.

Os efeitos da nicotina no organismo jovem são potencializados, aumentando o risco de vício e a toxicidade do cigarro. Segundo o Instituto Nacional do Câncer – Inca, a dependência de nicotina é uma doença crônica e mata cerca de 8 milhões de pessoas todos os anos.

Alguém que comece a fumar aos 15 anos tem 3 vezes mais chances de morrer de câncer do que aquele que inicia aos 20 e poucos anos. E, quanto mais cedo a pessoa se expõe ao cigarro, maiores serão os danos que seu corpo sofrerá quando envelhecer.

Além dos riscos para a saúde do corpo, a dependência pode levar ao desenvolvimento de problemas na saúde mental, como transtornos de humor e depressão, favorecendo até o surgimento da esquizofrenia.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS, o tabagismo está entre as principais causas de morte evitáveis no mundo e afeta quem fuma e também quem não fuma, mas convive com os fumantes.

Por que fumar não é uma boa ideia?

Então, vamos para uma lista com algumas razões que mostram que o melhor mesmo é não começar a fumar. Uma pessoa que não fuma:

  • Será mais saudável e terá melhor preparo físico para esportes: fumar diminui sua capacidade pulmonar;
  • Economizará muito dinheiro, não gastando com a compra do cigarro;
  • Será mais bonito/a, uma vez que fumantes têm mais rugas no rosto aos vinte e poucos anos, pois as substâncias do cigarro restringem o fluxo sanguíneo da pele;
  • Ajudará o Planeta, pois 5% de todo o desmatamento do mundo se dá pela produção de tabaco;
  • Será mais atraente: a maioria das pessoas prefere beijar não fumantes;
  • Não prejudicará sua fertilidade. No caso das mulheres, fumar aumenta a chance de complicações na gestação e no parto. Bebês de pais e mães fumantes têm mais chances de Síndrome da Morte Súbita do Lactente.

Como conseguir parar?

Bem, o ideal mesmo é nem começar! Mas, para quem já está fumando, existem caminhos para vencer o tabagismo.

É possível fazer a parada de forma imediata, quando se determina um momento a partir do qual não irá mais fumar, ou a parada gradual, na qual a quantidade e a frequência de cigarros vão sendo diminuídas até conseguir parar.

Seja qual for a sua opção para largar o cigarro, é importante contar com a ajuda da sua equipe de equipe de saúde, que irá propor opções terapêuticas para que a tarefa seja cumprida com sucesso.

Além disso, há algumas atitudes que favorecem o sucesso nessa empreitada, que nem sempre é fácil, mas é muito possível.

Fuja dos gatilhos

Mude hábitos e situações que despertam a vontade de fumar. Cafezinho, festas, bebidas, rolê de skate, o momento de ver TV: evite essas situações enquanto ainda estiverem associadas ao cigarro.

Durma bem e esteja perto de quem apoia você

O sono restaura o corpo e, para quem está buscando parar de fumar, ajuda a renovar as energias. Uma rede de apoio acolhedora também irá deixar o processo mais leve e cheio de incentivo.

Coloque exercícios na rotina

Exercício é muito importante para uma vida saudável, inclusive no processo de parar de fumar. Além disso, ajuda a controlar a irritabilidade provocada pela abstinência.

É bom estar preparado para lidar com a fissura!

Esse sintoma de abstinência é reconhecido pela vontade muito forte de fumar que pode durar de alguns segundos a minutos e ser muito desagradável. Ela é mais comum nas primeiras semanas após o último cigarro e, com o tempo, vai passando.

Compartilhe com a galera

Como falamos, geralmente a experiência recreativa com o cigarro começa em função de um comportamento de grupo. Por isso, é importante que os adolescentes estejam unidos na busca por um estilo de vida mais saudável.

Juntos, os amigos podem se apoiar para fugir desse hábito prejudicial, evitando desenvolver o tabagismo na adolescência.

Vale a pena ser uma rede de apoio e incentivo para os colegas que desejarem parar de fumar.

Fonte:

https://www.inca.gov.br/en/node/1727

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/Tabagismo_adolescencia.pdf

https://www.accamargo.org.br/sobre-o-cancer/noticias/perigosa-relacao-dos-jovens-com-o-cigarro

https://hospitalsantamonica.com.br/tabagismo-na-adolescencia-entenda-o-risco-de-psicose-e-como-tratar

https://www.inca.gov.br/tabagismo/criancas-adolescentes-jovens

https://www.inca.gov.br/como-parar-de-fumar

https://www.omint.com.br/blog/tabagismo/



Quer saber sobre a Kipp? Conheça nossas redes sociais.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentário enviado para a moderação.

Por favor aguarde!