Lavagem nasal: um alívio simples para sintomas de alergia e resfriado

Avatar

Por Kipp Saúde

8 de julho de 2022

Mundo Kipp

Avatar

Por Kipp Saúde

8 de julho de 2022

A lavagem nasal é um recurso utilizado por várias culturas para alívio de sintomas nasais. Na cultura oriental do yoga, por exemplo, a lavagem nasal faz parte dos cuidados de higiene diários, assim como escovar os dentes.

A lavagem com soro fisiológico pode ser utilizada para o alívio da congestão nasal, coriza e espirros. Esses sintomas são comumente presentes em pessoas com rinite alérgica e durante quadros infecciosos respiratórios agudos, tais como o resfriado comum, a sinusite aguda e crônica, a gripe e a infecção pelo coronavírus.

Nos últimos anos, a indústria farmacêutica desenvolveu diversos dispositivos para aplicação de solução salina intranasal de forma facilitada, através de sprays ou conta-gotas. Além disso, diferentes tipos de frascos podem ser utilizados para realização de irrigação manual.

Lota – “Jala neti” (sânscrito)

Benefícios

Seja qual for a causa dos sintomas nasais, eles são muito incômodos. Com isso, a lavagem pode promover o alívio por três razões:

1 – Fluidifica a secreção (catarro) tornando-o mais fácil de ser expelido;

2 – Ajuda a retirar substâncias irritantes e causadoras de alergia de dentro do nariz;

3 – Melhora a função das células ciliares que atuam como “varredouras” de secreção – ou seja, as células que movimentam o muco trabalham melhor.

Cavidade nasal e seios paranasais

Porém, é preciso tomar alguns cuidados para fazê-la de forma segura.

Como fazer?

Existem à venda nas farmácias alguns dispositivos automáticos que emitem jatos ou sprays contendo soluções salinas. Há outros que apresentam a solução salina a ser aplicada a conta gotas. Há ainda frascos desenvolvidos especificamente para irrigação nasal.

Aqui, nós vamos falar sobre a irrigação nasal com soro fisiológico com ajuda de uma seringa ou de frascos específicos

  • Realize a lavagem 1 a 3 vezes ao dia;
  • Se você também utilizar algum medicamento via nasal, realize a lavagem nasal ANTES de aplicar o medicamento. As medicações nasais são muito mais efetivas quando espirradas sobre a mucosa nasal limpa.

Você vai precisar de:

 

  • Uma seringa simples ou frasco específico para irrigação nasal;
  • Soro fisiológico, que é uma solução de cloreto de sódio a 0,9% (essa concentração é de soro isotônico, segura e que não causa irritação de mucosa. Por isso, a recomendamos. Mas seu médico pode prescrever a utilização de soluções mais concentradas, de até no máximo a 6%)

Passo a passo:

1 – Coloque a quantidade de soro que você pretende usar em uma tigela limpa. (Não conecte uma seringa usada diretamente ao frasco do soro, para não contaminar todo o conteúdo!)

2 – Você pode aquecer um pouco a solução no micro-ondas, mas tome cuidado para que não fique quente! Tem que ficar à temperatura da sua pele, no máximo.

3 – Posicione-se na beira da pia, inclinando-se levemente para frente e com a ajuda de uma seringa, injete a solução dentro do nariz, direcionando para a parte de trás de sua cabeça (e não para cima!). Algumas pessoas preferem fazer no banho.

4 – A solução irá fluir através de uma narina e sairá pela outra, mas não tem problema se você engolir um pouco ou cuspi-la.

5 – Higienize os frascos e dispositivos e guarde-os secos até o próximo uso.

Quantidade

  • Não há uma quantidade máxima de soro estipulada. O ideal é lavar gentilmente, até que o soro retorne limpo e enquanto não houver desconforto ou dor.
  • Para ter uma referência, sugerimos:
    • Adultos – em torno de 20ml em cada narina na primeira lavada, podendo ser repetida até que a solução saia clara.
    • Crianças de 3 a 12 anos – em torno de 10ml em cada narina na primeira lavada, podendo ser repetida até que a solução saia clara.
    • Bebês e crianças até 3 anos – utilizar dispositivos a conta gotas ou uma seringa de 3ml e injetar com delicadeza realizando pausas, até que a solução saia clara.

Atenção: em caso de desconforto ou dor, interromper a lavagem. Converse com seu enfermeiro ou médico de família se tiver alguma dúvida!

Segurança

  • Se usar uma seringa, especialmente em crianças, comece com uma pressão gentil, sem forçar e vá aumentando progressivamente a pressão no cilindro ou seringa;
  • Interrompa a lavagem se sentir dor. Se persistir, procure atendimento médico;
  • Lave bem os frascos e seringas após cada uso e guarde-os secos;
  • Troque as seringas a cada 2 a 3 semanas;
  • Utilize soro fisiológico dentro da validade e armazenado adequadamente após aberto;
  • Não acople uma seringa usada diretamente a um frasco de soro para não o contaminar;
  • Se tiver dúvidas sobre como realizar a lavagem, converse com sua Ekipp de saúde.

Cuide-se!

Com o aumento de diagnósticos de doenças respiratórias, principalmente durante o outono e inverno, é importante encontrar alternativas para minimizar o sofrimento. A Fundação Oswaldo Cruz já acendeu um alerta sobre o crescimento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Por isso, cuide-se!

Quer saber mais sobre o nosso conceito de cuidado? Siga nossas redes sociais e venha ser um Kipper.

Fonte: 

King D, Mitchell B, Williams CP, Spurling GK. Saline nasal irrigation for acute upper respiratory tract infections. Cochrane Database Syst Rev. 2015 Apr 20;(4):CD006821. doi: 10.1002/14651858.CD006821.pub3. PMID: 25892369.

Achilles, N., Mösges, R. Nasal Saline Irrigations for the Symptoms of Acute and Chronic Rhinosinusitis. Curr Allergy Asthma Rep 13, 229–235 (2013). https://doi.org/10.1007/s11882-



Quer saber sobre a Kipp? Conheça nossas redes sociais.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentário enviado para a moderação.

Por favor aguarde!