Cuidados com a saúde masculina é “coisa de homem”, sim!

Avatar

Por Kipp Saúde

28 de junho de 2022

Mundo Kipp

Avatar

Por Kipp Saúde

28 de junho de 2022

Os homens brasileiros morrem em média 7 anos mais cedo que as mulheres e é necessário desmistificar este assunto

A passagem do homem pelo serviço de saúde tem um padrão diferente do das mulheres. Homens costumam procurar o serviço de saúde somente quando se sentem mal, ou quando “tudo já deu errado”. As campanhas de promoção de saúde do homem normalmente se limitam ao rastreamento do câncer de próstata.

Buscar um acompanhamento médico ao longo da vida, para a maioria dos homens, é uma demonstração de vulnerabilidade e que pode afetar sua masculinidade. Para mudar esse pensamento, os profissionais e serviços de saúde devem romper o estereotipo ‘mulher se cuida x homem não se cuida’.

A Kipp se preocupa com a saúde masculina e traz à tona o tema, além de destacar a importância de rever as práticas sociais atribuídas a esse público para romper o modelo binário do masculino/feminino. O Ministério da Saúde, também, instituiu a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde dos Homens, em 2009, para promover ações que contribuam significativamente para a compreensão da realidade singular masculina nos seus diversos contextos socioculturais e político-econômicos.

Barreiras institucionais

Por conta das questões relacionadas à masculinidade no ambiente corporativo, o homem tem mais dificuldade de justificar ausências para ir a consultas. Por isso, é fundamental oferecer horários e formas de acesso alternativos (noites, início da manhã, consultas online). Outro ponto que afasta os homens é a presença exclusiva de profissionais mulheres, fator que inibe a procura ao serviço de saúde por vergonha de se expor a exames.

Mas e a próstata?

É verdade que o câncer de próstata é a neoplasia mais comum entre homens e a segunda mais letal entre o público masculino, fica atrás apenas dos cânceres de pele não-melanoma. Porém, a comunidade científica internacional sabe que o rastreamento do câncer de próstata tem pouco ou nenhum benefício sobre a mortalidade pela neoplasia e nenhum impacto na mortalidade geral dos homens. Por outro lado, realizar esses exames e tratamentos tem associação com sequelas como a disfunção erétil e a incontinência urinária.

Ou seja, embora o câncer de próstata seja uma doença relevante na população masculina, ainda não há exames de rastreamento bons para detectá-lo na fase assintomática. Convidar os homens para o serviço de saúde com essa finalidade não é lógico porque essas práticas (exames de próstata) não são capazes de gerar nenhum benefício.

Por outro lado, há outros problemas de saúde que acometem muitos homens e cujo rastreamento tem respaldo na literatura, tais como o uso de álcool e tabagismo. Por isso, é importante medir a pressão arterial, realizar sorologias, discutir medidas de proteção contra acidentes (de trabalho, carro e moto), entre outros.

Que cuidados ter?

A US Preventive Task Force, entidade norte-americana que se dedica a estudar e tecer recomendações sobre atividades preventivas que têm real impacto na população, indica algumas ações e exames preventivos para homens. Todos eles são realizados pela Kipp.

PROCEDIMENTO POPULAÇÃO ALVO
Medir a pressão arterial A partir de 18 anos
Rastrear câncer de cólon (intestino grosso) A partir de 45 ou 50 anos (a depender do risco)
Rastrear diabetes A partir de 35 anos para homens com sobrepeso ou obesidade
Câncer de pulmão Homens fumantes e ex-fumantes entre 50 e 80 anos com carga tabágica de ao menos 20 maços-ano*
*(maços-ano é uma conta que os médicos fazem para calcular a carga tabágica. Ela é calculada da seguinte forma: número de maços por dia x anos de tabagismo. Por ex. se alguém fuma meio maço por dia há 20 anos: 0,5 x 10 = 5 maços-ano)
Rastreamento de IST – infecções sexualmente transmissíveis (HIV, Hepatite B, C e sífilis Pessoas sob risco: realizam sexo desprotegido, utilizam drogas injetáveis
Rastreamento de aneurisma de aorta abdominal Homens entre 65 e 75 anos que já fumaram pelo menos 100 cigarros na vida

Além disso, é muito importante para melhorar a saúde dos homens:

  • Rastrear o uso nocivo do álcool
  • Rastrear Tabagismo
  • Discutir e oferecer tratamento para o uso nocivo de drogas
  • Rastrear e oferecer tratamento para depressão
  • Discutir prevenção de acidentes no trânsito e no trabalho
  • Estimular o estilo de vida saudável (alimentação, atividade física, estresse) para redução do risco cardiovascular

Estilo de vida

Cuidados com a saúde não é um tema exclusivo a um determinado gênero ou faixa etária. Para ter uma vida longa e saudável é importante que todos realizem acompanhamento médico ao longo da vida. Por isso, a Kipp apresenta foco na Atenção Primária da Saúde (APS), com atendimento 100% on-line e com cuidado proativo, personalizado, planejado e preventivo.

Tudo isso a Kipp Saúde faz, e muito mais!

Gostou? Veja também a matéria: 5 Benefícios de seguir uma jornada de saúde

Fonte:

US Preventive Task Force:https://uspreventiveservicestaskforce.org/uspstf/

Gusso G, Lopes JMC, Dias LC. Tratado de medicina de família e comunidade – 2 volumes: princípios, formação e prática. (2nd edição). Porto Alegre: Grupo A; 2019.



Quer saber sobre a Kipp? Conheça nossas redes sociais.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentário enviado para a moderação.

Por favor aguarde!